Ads Top






Em Natal , Bolsonaro diz que "não tem nada contra os Homossexuais"; Confira a entrevista


O pré-candidato à Presidência da República ,  deputado federal do Rio de Janeiro , Jair Bolsonaro concedeu entrevista ao Portal No Ar  nesta sexta-feira (9) durante sua estadia na capital do Rio Grande do Norte.   Confira a entrevista
– Qual sua opinião a respeito dos direitos conquistados pelos homossexuais, ultimamente? Perguntou o repórter.
-Ayrton, eles conseguiram a união estável. Se você for ao artigo 226 da Constituição, parágrafo 3º, tá escrito lá que pra fins de proteção do estado é garantida a união civil entre homem e mulher. É só alguém apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição, tirar a palavra homem e mulher e ninguém vai reclamar mais. Nós somos escravos da lei. Eu não tenho nada contra o homossexual. Respondeu.
-Essas conquistas serão mantidas se Bolsonaro chegar à Presidência?
-Sem problema nenhum. Eu quero que você seja feliz, cara. Respondeu levando uma plateia de dezenas de pessoas que estavam vendo a entrevista às gargalhadas.

Reformas
Bolsonaro se posicionou sobre as reformas trabalhistas e da Previdência, que estão em andamento no Congresso.
“A trabalhista, eu votei favorável. Acho que ela poderia avançar mais. A classe que emprega cada vez mais está empregando menos. São quatro milhões de ações por ano. No mundo todo, o Brasil representa 80% disso. É sinal que tá errado”, declarou.
E a da Previdência?
“Quando à previdenciária, remendo novo em calça velha. Eu fui no Piauí. A expectativa de vida, segundo o IBGE é de 69 anos. Quando você propõe 65, isso beira à desumanidade. Sei dos problemas da Previdência. Mas temos que atacar, em especial, a questão pública. No Rio de Janeiro, que eu conheço, tem emprego que ganha R$ 12 mil por mês. Pega um cargo de comissão de R$ 10 mil. Mais dez anos incorpora mais R$ 10 mil e sai com R$ 32 mil por mês. Você tem que acabar com as incorporações. É um alívio. Quanto a tempo de serviço aumenta mais um ano e todo mundo vai votar favorável”, analisou.
Segurança
Armar a população é um dos projetos de Jair Bolsonaro. Além disso, o político defende mais liberdade para os agentes de segurança pública.
“Você tem que dar meio para o policial trabalhar e não ser condenado. O Brasil está em guerra, e militar meu, em guerra, não senta no banco dos réus. Tem que dar essa retaguarda jurídica ao policial. A segurança pública é dever do estado, mas todos nós somos responsáveis. Te dar o direito de você, como jornalista, ter a posse de uma arma de fogo. Você sabe que se começar a fazer certas matérias para ofender grupos criminais você pode morrer dentro de casa e com uma arma poderia defender sua vida. Estão muito mais preocupados com quem tá preso do que quem tá no cemitério. Um policial olha torto pra um vagamundo e isso é contra a lei. O cara mata a mãe e no Dia das Mães ganha a liberdade”, falou o deputado.
Educação
Na área da educação, o presidenciável, que é capitão do Exército Brasileiro, fala em expandir os colégios militares por todo o Brasil.
“Raros são os pais que não gostariam de ver seus filhos em colégios militares. Eu gostaria de colocar, nos primeiros dois anos [de governo], um colégio militar em cada capital”, contou.
O político criticou a política assistencialista e disse ver a educação como uma saída para a pobreza.
“É muito mais importante ter, em uma escola, uma maneira de ser instruído e ser alguém no futuro. O que liberta uma pessoa da escravidão é o conhecimento. Não é programa assistencialista”, afirmou.
Corrupção
O tema mais comentado nos últimos anos é tratado com polêmica por Bolsonaro.
“Perdeu-se a noção do direito de roubar. Olha a besteira que falei! Você tem condições de comer 10 lagostas agora? Eu te pago. Não, não tem. Por que os caras querem comer 30? A JBS fez esquecer a Odebrecht e quando vier o BNDES sai de baixo”, declarou.
Sobre Temer, Bolsonaro expressou a seguinte opinião:
“Só o fato de receber alguém que depois diz que não presta nos porões de sua residência oficial já tá condenado. É a mesma coisa de você, casado, ser flagrado em uma região de baixo meretrício”.
Bolsonaro chegou a Natal nessa quinta-feira, 8, e ainda hoje, dia 9 de junho, deve deixar a capital potiguar.
Veja vídeo:
Tecnologia do Blogger.