Ads Top






Depois de Jaime Calado, PMB quer filiação de Zenaide Maia


O vereador Raimundo Mendes, presidente da Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante e líder estadual do Partido da Mulher Brasileira (PMB), afirmou nesta terça-feira, 8, que continua com a “perspectiva” de receber em breve a filiação da deputada federal Zenaide Maia, atualmente em processo de litígio com o PR.
A possibilidade de migração de Zenaide para o PMB aumentou consideravelmente há duas semanas, quando o marido da parlamentar, o ex-prefeito de São Gonçalo Jaime Calado, oficializou a filiação à legenda. “Jaime [Calado] já veio, e a perspectiva é que a deputada também venha. Mas isso só vai acontecer se ela for expulsa do partido ou quando vier a janela [período em que deputados podem alterar a filiação partidária sem perderem o mandato]”, afirma Mendes.
No final de 2016, após ter votado na Câmara dos Deputados contra a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 241, que previa o estabelecimento de um teto para os gastos públicos, carro-chefe do início do governo de Michel Temer (PMDB), Zenaide foi suspensa pelo PR – que havia fechado questão favoravelmente em relação ao assunto – pelo prazo de um ano.
Imediatamente depois do entrevero, vieram convites de diversas legendas, entre as quais o PMB, que, segundo Mendes, tem projetos audaciosos para as eleições de 2018. “Estamos tentando trazê-la [Zenaide] para fazer dela a nossa candidata ao Senado”, afirma Mendes.
Enquanto isso, frisa o vereador, o momento é de estudar o quadro político e esperar os desdobramentos da reforma política – considerada por Mendes imprescindível para o país –, que está atualmente em análise no Congresso Nacional. “Estamos aguardando a reforma política, que deve sair daqui para setembro. Há uma necessidade disso, não podemos continuar na situação em que estamos hoje. A situação se complica a cada dia”, pontua.
Para que as mudanças na legislação eleitoral valham já para o pleito do ano que vem, no qual se escolherão novos deputados, senadores, governadores e presidente, é preciso que o Congresso aprove a reforma até o mês de setembro deste ano.
Ao defender a realização da reforma, o líder do PMB no Rio Grande do Norte aproveita para criticar a atual composição do Congresso. Ele assinala, por exemplo, que desconfia da “coragem” dos atuais parlamentares para discutirem mudanças tão profundas, como a reforma política. Por causa disso, o vereador defende a realização de uma Assembleia Constituinte específica para tratar dessa e de outras questões.
“O PMB defende uma Constituinte exclusiva para que a gente possa fazer as reformas necessárias, que o Congresso de hoje não tem coragem de enfrentar. Além da reforma política, tem a previdenciária, a fiscal e a do Judiciário”, exemplifica.
Tecnologia do Blogger.