Ads Top






Prefeito de Nova Floresta critica oposição e esclarece projeto que instituiu taxa de iluminação



Blog do Flavio - Após a aprovação da Contribuição de Iluminação Pública (CIP) da cidade de Nova Floresta, Curimataú paraibano, na noite desta quinta-feira (05), pela Câmara Municipal, o prefeito Jarson Santos (PSB) concedeu entrevistas nesta sexta-feira (06) esclarecendo boatos espalhados por opositores em torno do projeto.

Pela manhã, o chefe do Executivo Municipal concedeu entrevista ao radialista Galvani Silva, na Web Rádio Rede Mais, e a tarde participou do programa Panorama dos Municípios, com Flávio Fernandes. Para o gestor, a cobrança é uma necessidade do município.

“A necessidade nos obrigou a implantar essa taxa porque hoje a iluminação pública do nosso município é precária e precisa de uma reestruturação e o projeto tem esse objetivo”, disse o gestor afirmando que todo o dinheiro arrecadado pela CIP será revertido em investimentos na iluminação pública da cidade, o que está assegurado na Lei.

Segundo o prefeito, a bancada de oposição – que votou contrária a proposta – não trabalha para ajudar a gestão. “A finalidade deles [vereadores da oposição] não é votar o que é melhor para a cidade, é provar ao prefeito que é oposição”, disparou Jarson revelando que um dos vereadores da sua bancada adversária critica a taxa porque “tem uma adutora irregular de água”.

“É um Legislativo que está trabalhando de forma errada. Está vendo os seus interesses pessoais e não está vendo a situação do município”, completou.

Jarson destacou que o projeto seria colocado em votação há três anos, inclusive com o aval do vereador autor das críticas, mas foi retirada da pauta porque estava próximo do período eleitoral. “Seria colocado em votação há três anos atrás, não colocou porque estava próximo da campanha, inclusive, o autor era o próprio responsável por esse circo dessa semana”.

Ao lado do prefeito, o secretário da Administração, José de Arimatéia, explicou que em torno de 30% da população está isenta da taxa, pois se enquadram na categoria baixa renda. “969 residências de pessoas de baixa renda estão isentas, que terão o benefício da iluminação pública, mas não pagarão. Temos uma segunda faixa que pagará R$ 2,49 na ordem de 609 residências”.

Além da arrecadação ser destinada exclusivamente para a iluminação pública, a CIP custeará um sistema de monitoramento por câmeras das principais avenidas e praças da cidade. Entre as ações a serem realizadas, está a instalação de iluminação de LED nas avenidas Benedito Marinho e Felinto Florentino. Após a implantação da taxa, um número telefônico será disponibilizado para a população entrar em contato e informar sobre a reposição de lâmpadas. A gestão promete resolver o problema em até 48h.

A Contribuição de Iluminação Pública de Nova Floresta passa a entrar em vigor após 90 dias da sua publicação no Diário Oficial do Município, ou seja, a partir de fevereiro do próximo ano. O prefeito frisou que, até lá, a manutenção da iluminação pública continuará sendo custeada pela gestão.
Tecnologia do Blogger.