Ads Top






Facebook se prepara para as eleições 2018 no Brasil






O Facebook está no centro de uma das mudanças nas regras eleitorais determinadas pelo Tribunal Superior Eleitoral para 2018. Pela primeira vez, será permitido o impulsionamento de conteúdos online por partidos, coligações e candidatos.
A rede social deve ser o principal alvo deste tipo de publicidade, com posts patrocinados de candidatos surgindo nos feeds dos usuários a partir da data inicial da propaganda política – 16 de agosto.


Uma das novidades da rede para informar os usuários sobre este tipo de publicidade é a divulgação de todos os anúncios que uma página está veiculando no Facebook e no Instagram, mesmo que a publicidade não tenha aparecido no feed do usuário.


A maior transparência também está agora nas informações de páginas, que passam a apresentar alterações de nome recentes e a data em que a página foi criada.


Esse tipo de ação deve facilitar a identificação de páginas que mudam de nome no período próximo às eleições para apoiar partidos ou candidatos.


Assim, todas as páginas agora têm uma seção “Informações e anúncios” no menu à esquerda, onde todos os posts impulsionados ativos são exibidos. Nos anúncios marcados na categoria político/eleitoral, marcações vão informar quem pagou pela publicidade.


O Brasil também será o segundo país do mundo (após os Estados Unidos) com o Arquivo de Anúncios, que hospedará por 7 anos as propagandas relacionados à política na rede social, com informações como o valor aproximado gasto e os dados sobre o público demográfico impactado.


Para marcar um anúncio como político, será necessário passar por uma autorização na rede social, que exigirá a autenticação de dois fatores, o envio de um documento pessoal e o preenchimento de um cadastro. A modalidade só é permitida para usuários residentes no Brasil.


Caso um anúncio político no Facebook descumpra regras eleitorais, como veiculação nas 48h anteriores ao voto, o TSE poderá multar o candidato e solicitar a remoção à rede social. O processo não pune a companhia, diferentemente do que acontece com veículos de mídia que divulgam anúncios fora das regras, que também são alvos de multa.

O Facebook também lançará novos recursos voltados para a informação dos eleitores, como a aba “Temas” nas páginas de políticos, em que eles podem resumir propostas para diversas áreas, como educação, emprego, segurança e economia.



A empresa também terá o recurso Town Hall, chamado no Brasil de Praça Pública, que permitirá que as pessoas localizem, sigam e contatem seus representantes após a eleição.


Os novos recursos foram apresentados para coordenadores de campanha, assessores e jornalistas em uma série de 10 eventos realizados pelo Facebook em diversas cidades brasileiras. Em Porto Alegre, o encontro foi realizado na terça-feira, 31.
Fonte: Baguete
Tecnologia do Blogger.