Suspeito de atentado a Bolsonaro é militante pró-Lula no Facebook



Detido pela Polícia Federal pela suspeita de ter esfaqueado nesta quinta-feira (6/9) o candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL), Adélio Bispo de Oliveira mantém em seu perfil do Facebook apologia ao comunismo. Na rede, ele declarou apoio ao governo do ditador venezuelano de Nicolás Maduro, além de ter divulgado fotos em atos a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e em manifestações contra o presidente Michel Temer (MDB).
Em uma das publicações, Adélio Bispo (de vermelho, na foto abaixo) fez críticas diretas a Bolsonaro. “Dá nojo só de ouvir, dizer que a ditadura deveria ter matado pelo menos uns 30 mil comunistas”, registrou o suspeito ao compartilhar um vídeo em que o presidenciável faz apologia ao regime militar. “Tem que matar aqueles caras mesmo”, disse o militar da reserva nas imagens sobre os militantes mortos na época.
Tecnologia do Blogger.